segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Tempo

O tempo de execução de um estudo em geral é o tempo necessário para o entendimento, aprendizado e contemplação dos elementos conceituais ou técnicos envolvidos. A exceção ocorre quando a definição de um prazo curto é condição fundamental do exercício para obrigar o praticante a seguir critérios de modo mais funcional e direto, sem rodeios. Mas independentemente de qualquer imputação de sentido dada ao tempo, o bom pintor ou desenhista é aquele que observa mais (analisa intuitivamente) e executa menos, que age de acordo com a atribuição de função e de prioridades.
A massa abrangente de valor médio por baixo serviu de suporte e o esforço foi de utilizá-la ao máximo como base para sobrepor as variações de valor e pequenas mudanças de plano. Um bom exemplo da aplicação desse princípio são os olhos: há uma massa genérica por baixo, pela colocação posterior de linhas escuras na região da pálpebra superior e de linhas num valor mais alto na pálpebra inferior (com a borracha), os planos se separam e os olhos são configurados.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por Email