sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Estudo a partir da obra de Rodin, carvão sobre papel vergê (2015)

Início da estruturação das massas com alternância para a estrutura do desenho

Estruturação das grandes massas com sobreposição de shapes menores.

Inserção dos pequenos toques com intuito de manipular a leitura e configurar a fisionomia.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Estudo de estrutura no óleo nov/2015

Depois de estudar sistematicamente por anos a estrutura do desenho (desenvolvendo o sistema gestual pictórico), a estrutura das massas e dos valores (de acordo com a concepção de fluxo de luz), finalmente posso me dedicar com mais afinco à investigação mais íntima da estrutura das cores. 
E o que me interessa como sempre, não é a mera imitação/reprodução do que se vê, é o levantamento de questões acerca desse campo na forma de conceito, que sirva de orientação para o trabalho técnico por sensação. 
O ponto de partida crucial para pensar a cor é o levantamento e elaboração de uma paleta reduzida (não restrita), pela observação seletiva e análise das cores do modelo. O recorte da minha premissa metodológica consiste em subordiná-las às dimensões de temperatura e complementaridade (direta e indireta).
O interessante, como pude constatar no exercício, é que por meio da montagem de uma base simples, mas complexa, é possível extrair uma estrutura que se desdobra de forma mais elaborada, ordenada e sensível, o que amplia e potencializa a prática, novas experiências e possibilidades de entendimento, tanto conceitual como intuitivo.

À esquerda, no estudo menor, escolha da paleta de cores; no centro, o estudo definitivo; à direita, ordenamento das grandes massas no carvão.

Estudo de estrutura no óleo.

sábado, 16 de julho de 2016

Sessão de modelo vivo Junho/2016





























Desenho de 15', de Mauricio Takiguthi

Desenho de 10', de Mauricio Takiguthi


Desenho de 15', de Mauricio Takiguthi


Desenho de Mauricio Takiguthi

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Resolvendo problemas...


Neste exercício de estrutura das massas e sobreposição de shapes menores, deixei-me levar pela preocupação prematura com o trabalho de borda e sua leitura, o que acabou por deteriorar a leitura da luz e matéria, elementos típicos das estruturas que monto, dentro da minha concepção visual de construção. Por essa razão, a estrutura acabou perdendo força. Ao invés de ceder à vontade enorme de começar de novo, resolvi retoma-la a partir da análise da falta: resgatar a luz, ajustar os contrapontos de valor das grandes massas e manipular os shapes por sensação. Uma constatação interessante foi a possibilidade de desenvolver e aprofundar essa ideia de que respeitar, reverenciar a prática, não consiste apenas em esquecer de si mesmo (deixando o ego de lado), mas também em voltar para a prática fazendo o que deve ser feito, tentando manter a sensibilidade à flor da pele. Quando a imagem se impõe às nossas vontades, ganha uma força (visual) diferenciada.

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Estudo de sobreposição de shapes nos espaços inomináveis

1a. camada: enquadramento e estabelecimento do todo pelo gesto


2a. camada: marcação dos valores e alternância para a estrutura do desenho

3a. camada: aumento da pastosidade e matéria na área de luz.

4a. camada: refinamento pelo ajuste fino de valor e pequenos toques

 
Detalhe

Seguir por Email