segunda-feira, 20 de abril de 2015

Estudo de cavalo

O conceito foi explorar o máximo das características do papel marrakech: a cor cinza esverdeada, o tom médio do papel e a textura, dentro do rigor do mínimo necessário. As massas abrangentes geram simultaneamente textura e unidade à sobreposição de tons mais claros e escuros. As hachuras dão a leitura dos planos menores, de modo mais "encaixado" e preciso. A escolha da cor quente no negativo (fundo) serviu para dar o contraponto à cor fria do positivo (figura).
 
"Cavalo", carvão e lápis conté branco sobre papel marrakech texturizado, 2015
 

De tempos em tempos, gosto de fazer desenhos pequenos por achar que possuem um certo charme e uma força visual diferente, além, é claro, de poder treinar a qualidade da síntese sucinta:  resolver com pouco (material) em pouco tempo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por Email