domingo, 20 de abril de 2014

Retrato de Eduardo (3a. versão): concepção visual e etapas do processo

Conceito: trabalhar em chave alta (na qual predominam os tons mais claros) com o duplo intuito de registrar o fluxo de luz e dar fluência à leitura.
Na prática, o ponto de partida foi  o uso do contraponto de valor alto x baixo, recorrendo à massa escura do cabelo e da barba como shapes que "molduram" o plano de luz do rosto.
Neste plano, por sua vez, o fluxo de luz como diretriz de ação exigiu a manutenção de tons mais claros para elementos sabidamente escuros (olhos, sombra projetada dos olhos, sobrancelha, plano inferior do nariz).



Neste estágio, já havia dado por encerrado, mas resolvi manipular mais a leitura, inserindo tons mais escuros.

 
A curiosidade do processo fica por conta da utilização da interrupção da luz como elemento crucial para a configuração da forma (tridimensional) e da fisionomia, pela via da sugestão. O lado prazeroso, e também desafiador, de trabalhar em chave alta é a exigência que o conceito impõe de interagir constantemente com a prática por sensação para não desandar a escala tonal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por Email