segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Por que estrutura?

Lendo um trecho do livro The language of drawing, de Sherrie McGraw, a artista diz algo bem interessante: a pintura foi feita para ser vista de longe. Coincide com o pensamento de Leffel, que também argumenta nessa direção, ao afirmar que uma boa pintura pode ser vista do outro lado da sala que mantém a sua força.
Isso nos leva a identificar à importância fundamental de uma boa estrutura na pintura; afinal, só ela é capaz de fazer a obra "sobreviver" visualmente à longa distância. A pergunta é por quê? Porque é na estrutura que estão colocadas as informações mais abrangentes e genéricas, como os grandes planos e massas, responsáveis pela unidade das informações menores sobrepostas posteriormente.
Disso se deduz a razão pela qual se deve evitar aquele vício de ignorar a base em prol do excesso de detalhes. Os detalhes devem estar subordinados hierarquicamente ao todo, o que implica dizer que a fase de acabamento é uma extensão da estrutura - o fim (acabamento) é ditado pelo começo (estrutura).
E é, neste sentido, que estrutura adquire este dupla função: base como fundação, base como início do pensamento.

Estudo do auto-retrato de Boldini, óleo sobre placa

Esta pintura inacabada foi resultante de uma pesquisa sobre bases possíveis para óleo. Neste estágio, achei que era um bom exemplo a ser "arquivado" como referência de estrutura e resolvi parar por aí.

6 comentários:

  1. Sempre vi essa pintura no ateliê, e ela sempre me chamou a atenção pela tinta mais seca usada e pelo sangue frio que teve ao deixar uma pintura com uma base tão boa nesse estágio. Exemplo ótimo para os loucos por detalhes.

    ResponderExcluir
  2. Richard Schmid afirma no seu livro Alla Prima que visitou o Museu Sorolla em especial para procurar suas pinturas inacabadas para poder analisar o underpainting como camada preliminar equivalente às primeiras "anotações". Isto é um bom sinal de que o "olho" do pintor deve diferenciar-se do olhar do leigo. Enquanto este último procura, na maioria das vezes, com todo o direito, simplesmente os efeitos do resultado, o primeiro deve entender a pintura como linguagem, forma de pensamento, de entendimento, enfim, como processo de construção.

    ResponderExcluir
  3. Maurício, parabéns pelo blog, obrigado por tão grande grande conhecimento partilhado. Depois do site "cozinha da pintura" este aqui foi o meu maior achado na internet, em minha longa busca por aprendizado na pintura. Sempre virei aqui consultar seus ensinos.
    Abraço.

    ResponderExcluir

Seguir por Email