quinta-feira, 8 de abril de 2010

Modelo vivo de março

Depois do workshop com Silverman, passei a mudar de postura em relação à pintura e ao desenho. Venho praticando o controle do desenho em "movimento". Embora seja muito importante a decomposição do processo em etapas simplificadas como meio para atingir o domínio, atualmente, tento não separar o processo em etapas estanques e sequenciais (como estruturas do desenho, massa, valor e borda), durante o processo prático. As múltiplas dimensões do real vão sendo administradas e organizadas pela alternância de estruturas, com base na sensação do todo.
A tendência inicial é o aparecimento de um certo desequilíbrio ou deixar algum aspecto de lado (no caso deste desenho, deixei de colocar as grandes massas na região do abdômen, para me preocupar com o trabalho de borda na sombra). O interessante dessa perspectiva é que o processo se torna um jogo mental nas palavras de Leffel, um processo de ordenamento constante, com tomadas de decisões pela interação sensível com o modelo.


carvão e lápis carvão sobre papel kraft

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seguir por Email